Conheça todas as regras do sistema educacional Brasileiro!

A base legal do sistema educacional brasileiro é a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Por Resoluções do Conselho Nacional de Educação (CNE), o Conselho Nacional de Educação. Através desta lei, os princípios e diretrizes para a educação são definidos. A educação do Brasil baseia-se na liberdade e nos princípios que lhe dão solidariedade e desenvolvimento da personalidade, morrendo de comportamento cívico e visando a preparação do mundo do trabalho.

inclui a educação morre educação básica (formação de base) – de cuidados pré-escolar e educação (até seis anos de idade), a principal escola e ensino secundário (ensino primário e secundário 1-8 ou 11 9.e classe..) existência – e morrer Ensino superior (Ensino superior), morrendo da Primeira formação acadêmica (graduação, uma média de cinco anos) e um posterior pós-graduação possível (pós-graduação) composto, o com o mestre (master, ungefhr dois anos e meio) ou doutorado (PhD, depois de cerca de vem anos).

Isso é caracterizado pela descentralização do sistema educacional brasileiro e as instituições educacionais têm discrição organizacional. O governo central, os estados, o distrito federal de Munizipien estão e estão comprometidos em coordenar seus respectivos sistemas educacionais entre si.

Alunos

O estado do Sind e o perfilamento por meio do distrito federal de sua organização de ministérios de educação (departamentos de educação) e para o ensino primário e secundário. Os municípios são responsáveis ​​pela assistência pré-escolar e ensino em creches, creches e pré-escolas pré-escolares e pelas preocupações de preparar a atenção primária da escola primária.

O governo central é responsável por coordenar a Política Nacional de Educação e por fornecer ligações entre os diferentes níveis e sistemas. Tem tarefas normativas, é responsável pela distribuição de fundos e tem efeitos adicionais sobre os outros. A mudança do Governo Central lida com o financiamento e a organização do Sistema Nacional de Educação, no qual a estrutura do ESF promove o ensino superior.
EDUCAÇÃO ESCOLAR

Reconhecimento e reciclagem

Qualificações de grau ee do ensino primário, que são prestados no exterior, sem a participação do Ministério da Educação do Brasil podem ser diretamente reconhecidos pelo indivíduo dos estados dos Ministérios da Educação (Secretaria Estadual de Educação). Para reconhecer uma conquista e isso para permitir que os formandos submetam os alunos aos documentos confusos do Ministério da Educação do respectivo estado.

Esses documentos são revisados ​​pelo Departamento de Educação do estado, que tem o direito de solicitar escolaridade adicional em determinados assuntos devido a possíveis desvios dos currículos brasileiros.

[su_list icon=”icon: chain” icon_color=”#b6b6b6″]

[/su_list]

Ao visitar uma escola estrangeira, é aconselhável frequentar as disciplinas obrigatórias do currículo brasileiro: Matemática, Química, Física, Biologia e Esporte. Depois de reconhecer a equivalência de educação anterior, o aluno pode se matricular em uma escola brasileira e somente assim poderá consultar o gabarito enem 2019.

GRADUAÇÃO E PÓS GRADUAÇÃO

Os estudantes que querem mudar de universidades estrangeiras para instituições de ensino no Brasil, devem se inscrever para essa mudança de universidade diretamente na respectiva universidade.

A mudança de universidade depende da disponibilidade de locais de estudo gratuitos, e o candidato pode ter que passar por um processo de seleção fornecido pela respectiva instituição de ensino. A mudança voluntária da universidade também é aplicada diretamente na instituição de ensino, onde uma continuação do estudo é desejada.

RECONHECIMENTO DE CERTIFICADOS

Diplomados que tenham obtido um grau de uma instituição de ensino estrangeira devem solicitar o reconhecimento de seus diplomas no Brasil a partir de um ESTADO. O reconhecimento é independente do Ministério da Educação do MEC.

Alunos

Note-se que a graduação universitária escolhe um ESTADO, reconhecido pelo Ministério da Educação brasileiro e autorizado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), para reconhecer seus diplomas. Além disso, a universidade deve oferecer um curso que corresponda àquele concluído no exterior.

A base legal para isso é o artigo 48 da Lei nº 9.394 / 96 e a Resolução nº 3/85 do Conselho Nacional de Educação. O procedimento de reconhecimento dos diplomas é realizado diretamente na respectiva universidade.

Após cuidadosa consideração dos documentos, uma comissão especializada designada pela instituição de ensino toma uma decisão. Como pré-requisito para o reconhecimento, pode ser necessário frequentar cursos adicionais ou fazer exames adicionais (autoridade de tomada de decisão autônoma da universidade).

Esta entrada foi publicada em Educação. Adicione o link permanente aos seus favoritos.