Privatização dos Correios é promessa do governo Bolsonaro

Uma das promessas de campanha do presidente Jair Messias Bolsonaro era de que grande parte das estatais existentes hoje seriam privatizadas, e, nas últimas semanas os estudos para privatização da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos foi confirmada, entenda neste artigo o que é uma privatização e como isso pode afetar os serviços dos Correios por todo o Brasil.

– Situação atual dos Correios

Nos últimos anos, a empresa foi envolvida em casos de corrupção, a começar pela primeira denúncia no que ficou chamado de escândalo do mensalão. A empresa entrou na partilha de cargos entre partidos, levando, também, o seu fundo de pensão Postalis a ser alvo de investigações por denúncia de má aplicação de recursos das contribuições dos empregados.

rastreamento de objetos correios

Há cerca de cinco anos, funcionários aposentados pelos Correios passaram a ter desconto de até 25% em seus benefícios como forma de tapar o rompo do fundo de pensão.

A empresa fechou quatro anos com prejuízo: 2013, 2014, 2015, e 2016; o que levou a privatização a ser cogitada. Entretanto, o lucro obtido em 2017, após medidas de contenção de despesas, fez com que a ideia fosse abandonada temporariamente. Em seis anos (2010 a 2016), o total de perdas de encomendas aumentou mais de 1000%, revelando queda na qualidade do serviço devido à falta de materiais e de infraestrutura adequados, tendo por causa anos de má-gestão, corrupção, e uso político da companhia.

Em maio de 2019, foi lançado um Plano de Desligamento Voluntário (PDV), visando enxugar o quadro de funcionários em mais de 7 mil servidores. Esses PDVs têm acontecido desde 2013, sem abertura de novos concursos. Também, quase 300 agências foram fechadas no país entre 2017 e 2018. Isso deve-se ao prejuízo de R$4 bilhões acumulado entre 2016 e 2017.

– O que é Privatização?

Antes de começarmos a discutir mais sobre a privatização da ECT em si, temos que entender o que é uma privatização de uma estatal e quais os efeitos que são sentidos por ela.

Privatização ou desestatização é o processo de venda de uma empresa ou instituição do setor público – que integra o patrimônio do Estado – para o setor privado, geralmente por meio de leilões públicos.

rastreamento de objetos correios

No Brasil, o processo de desestatização consistiu principalmente em tornar o Estado um sócio minoritário, pois grande parte das empresas já eram de capital aberto e negociadas em bolsa de valores e o Estado Brasileiro, através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, manteve concessões a iniciativa privada.

O termo “privatização” foi introduzido pela revista The Economist durante a década de 1930 em uma reportagem de cobertura sobre a política econômica adotada pela Alemanha Nazista.

– Prós e Contras da privatização

PRÓS

rastreamento de objetos correios

DESBUROCRATIZAÇÃO

Empresas privadas não precisam abrir editais, que levam tempo e custam dinheiro, para contratação de funcionários ou serviços. Apenas abrem um processo seletivo e contratam os melhores candidatos

INDEPENDÊNCIA POLÍTICA

Em empresas públicas, é comum ver cargos de confiança serem usados como troca de favores, ocupados por pessoas ligadas aos governantes ou a partidos específicos. Em empresas privadas isso, em tese, não acontece

EFICIÊNCIA

Quando há prejuízo, o governo recorre ao Tesouro Nacional para alavancar a empresa com dinheiro público. Empresas privadas, apesar de eventuais benefícios oferecidos pelo Estado, precisam andar sozinhas

CONTRAS

DESEMPREGO

Uma das primeiras soluções para reequilibrar as contas após a privatização é oferecer um programa de demissão voluntária. Cortam-se cargos, aumenta-se o lucro. E há ainda um aumento de funcionários terceirizados, que custam menos aos empregadores

CUSTO PARA O CONSUMIDOR

Todo investimento feito por empresas públicas vem de um lugar: da arrecadação de impostos. Com empresas privadas, os custos dos serviços prestados tendem a aumentar. E você continua pagando taxas ao governo

MENOS SERVIÇOS PARA A POPULAÇÃO

Empresas públicas devem ter o objetivo de universalizar os serviços. Por exemplo, levar eletricidade a todos os pontos do país para fomentar o desenvolvimento da região. Empresas privadas tendem a investir apenas onde há certeza de lucro.

– O que aconteceria após de uma futura privatização

Quem é contra diz que uma futura privatização dos correios iria prejudicar o serviço em todo o país, já que a ECT é a empresa que tem agências nos locais mais remotos deste país. serviços como o rastreamento de objetos correios poderiam sofrer, principalmente em locais de difícil acesso no interior.

Para uma empresa ser cedida à iniciativa privada, é preciso haver órgãos reguladores e fiscalizadores para cobrar que o serviço seja bem-feito, sem prejuízo às pessoas, e que haja contrapartidas de desenvolvimento ao país. Por outro lado, se não houvesse tanta corrupção e interesse político envolvido, as estatais poderiam ser tão eficientes e lucrativas quanto as privadas.

Neste artigo você pode entender melhor o que é uma privatização e como ela pode afetar os Correios e seus funcionários. Agora queremos saber o que você acha da privatização da ECT? Comente aqui!

 

Esta entrada foi publicada em Serviços. Adicione o link permanente aos seus favoritos.